Você sabia que existe uma condição genética capaz de deixar a pele azul?


Fonte da imagem: Reprodução/Visionair
É bem provável que você tenha assistido “Avatar”, de James Cameron, um dos filmes mais vistos dos últimos anos, certo? Ainda que você não tenha visto o longa, deve saber que nele existem personagens de pele azul. Será que esse tipo de coisa existe na vida fora das telas do cinema?
Antes, outra pergunta: você já ouviu falar de uma cidade chamada Appalachia? Ela fica nos EUA, na Virgínia, e era conhecida por abrigar uma família que tem uma condição genética rara conhecida como metemoglobinemia, que faz com que seus portadores apresentem elevados dessa célula, que é um tipo de hemoglobina, no sangue.
Normalmente, é comum que as pessoas tenham menos de 1% dessas células de metemoglobinemia no sangue – se o nível passar de 20%, o paciente pode ter problemas cardíacos, convulsões e, pode, inclusive, morrer. Entretanto, se esse nível estiver entre 10 e 20%, a pessoa passa a ter sangue cor de chocolate e pele azul, devido à diferente forma de liberação de oxigênio no sangue.

Raro

Fonte da imagem: Reprodução/Novini
Esse tipo de condição é bastante incomum porque, para ser transmitida, a característica precisa estar presente tanto nos genes do pai quanto nos da mãe. Apesar de ser raro, não é impossível – e foi isso o que aconteceu a família Fugate, que hoje vive em Appalachia. Tudo começou, há muitos anos, quando um órfão francês se casou com uma mulher da pequena cidade de Virginia. Os dois não sabiam, logicamente, mas carregavam o gene recessivo responsável por esse tipo de condição.
O casal teve sete filhos e, desses, quatro nasceram com a pele azul. Os membros dessa família começaram a casar entre si e os genes foram repassados, fazendo com que a família azul ficasse numerosa e conhecida. A maioria dos membros dessa família viveu bem até a velhice sem grandes problemas de saúde, apesar de serem portadores da condição.
Essa característica pode ocorrer sem que haja interferência genética necessariamente. Sabe-se que outras substâncias podem deixar a pele azulada. São elas: benzocaína, xilocaína, aditivos feitos à base de carne, pó de prata e alguns antibióticos.

9 comentários:

  1. Oi Rose, realmente, interessante....abçs

    ResponderExcluir
  2. Nossa. Que interessante.
    Eu não conhecia esse tipo problema genético.
    Beijo e uma ótima tarde! :)

    www.belezadescoberta.com.br

    ResponderExcluir
  3. Rodrigo Barbosa
    http://rbsmkt.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Não sabia, muito legal, por isso amo ler, aprendemos muito e encontramos muitas novidades, forte abraço.

    ResponderExcluir
  5. Legal ... eu ja tinha o sangue azul ...então ...

    ResponderExcluir
  6. pelas barbas de abraão,eu não sabia disso!!!tudo bem rose,sou blogueira unida,vi seu link na agenda dos blogs e vim fazer uma visitinha me inscrevendo no seu blog!tenha um excelente final de semana!aguardo sua visita!bjs
    http://blogdideza.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Realmente muito interessante, não conheça essa alteração genética.
    Beijos
    http://gotinhasesperanca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Bom...Não sabia que existia isso!!!Mas agora já sei e achei curioso...tá vendo que nesse mundo tem tanta coisa para ser descoberta ainda??
    abç Rose!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Será um prazer ler seu comentário. Porém
NÃO PUBLICAREMOS
COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.



Gostou Compartilhe

leia mais



ultimas postagens

Arquivo

Marcadores

visualizações

Uso das imagens

Algumas das imagens aqui divulgadas não são de minha autoria. Se alguma imagem for sua e você desejar que ela seja creditada ou retirada, por favor, entre em contato.