9ª edição do Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa

A partir desta terça-feira, o cinema São Jorge é a casa lisboeta de psicopatas, yakuzas, vampiros e outros leões durante os seis dias do MOTELx. A 9ª edição do Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa não vai, afinal, contar com a presença de Roger Corman, forçado a cancelar a sua visita por motivos profissionais, mas traz os novos filmes de Joe Dante, Eli Roth, Takashi Miike e Hideo Nakata.
E a sua abertura oficial esta noite de terça-feira pelas 21h00 dá-se com um dos filmes fantásticos mais aguardados dos últimos tempos: em antestreia mostra-se A Visita, do autor de O Sexto Sentido e Sinais, M. Night Shyamalan, que chegará às salas portuguesas já na próxima quinta-feira.
Não é a única antestreia do festival, que encerra na noite de domingo comKnock Knock – Perigosas Tentações, onde Eli Roth (Hostel) dirige Keanu Reeves e que tem estreia marcada para Outubro. Também dois exemplos da comédia de terror chegarão às nossas salas em breve. Um é Como Enterrar a Ex, uma comédia romântica com zombies dirigida por Joe Dante (Gremlins) (quinta 10, 19h15); outro é What We Do in the Shadows, sobre o quotidiano de vampiros neo-zelandeses, dirigido e interpretado por Jemaine Clement, da série Flight of the Conchords, e Taika Waititi (sexta 11, 00h15).
Se Roger Corman não pôde vir, em contrapartida estará em Lisboa o sul-africano Richard Stanley, cujo Hardware (1990) se tornou num dos grandes filmes de culto do cinema de terror dos anos 1990. O cineasta acompanha uma pequena retrospectiva da sua carreira irregular, com a exibição dos seus dois filmes mais importantes, Hardware (sexta 11, 17h15) e Dust Devil (1992, domingo 13, 16h45) e das suas curtas-metragens, bem como um documentário sobre a sua malograda experiência em Hollywood durante a rodagem de A Ilha do Dr. Moreau com Marlon Brando, filme do qual seria afastado e substituído por John Frankenheimer (Lost Soul, quinta 10, 19h15). Stanley dará também uma masterclass (domingo, 18h30).
Entre os filmes que merecem desde já toda a atenção na programação 2015 do festival contam-se Green Room do americano Jeremy Saulnier (Ruína Azul), sobre um grupo punk que dá por si testemunha de um assassínio cometido por um gang de supremacistas brancos comandado por Patrick Stewart (sábado 12, 00h15, e domingo 13, 14h45), e duas mini-sensações dos festivais alternativos americanos como Sundance e South by Southwest. Uma, Cop Car, de Jon Watts, traz Kevin Bacon no papel de um xerife corrupto ameaçando os dois miúdos rurais que lhe roubaram o carro onde escondeu um corpo (sexta, 11, 21h45, e sábado, 12, 14h30); a outra, Turbo Kid, assinado pela equipa canadiana formada por Anouk Whissell, François Simard e Yoann-Karl Whissell, é uma paródia afectuosa e retro ao cinema fantástico dos anos 1980, que pode ser definida pela fórmula “Mad Max em bicicletas filmado por Peter Jackson” (quarta 9, 16h30, e sexta 11, 00h15).
O MOTELx continua igualmente a apostar nas cinematografias “regionais” menos divulgadas nas nossas salas: é o caso do Japão, com a presença dos veteranos Hideo Nakata (Ghost Theater, sábado 12, 14h) e Takashi Miike (Yakuza Apocalypse, quinta 10, 00h15, e domingo 13, 16h45), e da sua mais recente sensação Sion Sono (Tag, hoje, 22h), ou da França (Night Fare de Julien Seri, quinta 10, 00h15, ou Road Games de Abner Pastoli, quinta 10, 21h45). De mencionar a forte presença britânica, capitaneada pelo violentíssimo policial de Gerard Johnson Hyena (quinta 9, 24h, e quinta 10, 14h30). Entre o contingente espanhol, de notar a presença de Miguel Ángel Vivas, realizador da curta produzida por Filipe Melo I'll See You in My Dreams, com a sua longa-metragem Extinction, interpretada por Matthew Fox e Jeffrey Donovan (sábado 12, 18h45).
Como sempre, o certame propõe uma competição de curtas-metragens de produção nacional, este ano com dez títulos a concurso, visíveis em duas sessões (sábado 12 e domingo 13 sempre às 13h) e também em “complemento” das longas-metragens do programa normal. O MOTELx continua igualmente a explorar o cinema de género feito em Portugal, este ano com a exibição de dois filmes esquecidos do período imediatamente anterior ao 25 de Abril. São eles A Caçada do Malhadeiro (1968), primeira longa-metragem do documentarista Quirino Simões sobre um episódio das invasões francesas (sábado 12, 19h30), e Sinal Vermelho (1972), policial em co-produção luso-espanhola de Rafael Romero Merchant (domingo 13, 16h15). 
Fonte e foto-http://www.publico.pt

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Será um prazer ler seu comentário. Porém
NÃO PUBLICAREMOS
COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.



Gostou Compartilhe

leia mais



ultimas postagens

Arquivo

Marcadores

visualizações

Uso das imagens

Algumas das imagens aqui divulgadas não são de minha autoria. Se alguma imagem for sua e você desejar que ela seja creditada ou retirada, por favor, entre em contato.